Desfecho

Acho que tem gente que se lembra do post do Empresário (leia aqui), da história do empata-foda, coisa e tal. Pois é, teve um desfecho ontem.

Eu tinha acabado de chegar na rodoviária de Vitória prá esperar minha tia e meu primo do Rio que vieram ver meu pai e dei de cara com o Empresário. Depois daquele episódio, nunca mais nos vimos e nos falamos umas duas ou três vezes só. Na verdade, até porque eu não tinha gostado muito do jeito dele, se não tivesse acontecido nada naquela noite a coisa toda teria rolado sem muita sintonia, só porque já estávamos ali. Então, sequer me empenhei prá vê-lo de novo.

Cumprimentos, conversa vai, conversa vem e ele falou que tava esperando a namorada, que é de uma cidade linda na região serranda do estado. Me contou que eles namoraram por um tempo mas a família dela era contra porque ele era separado e tinha filhos. Entendo, ela já tem 31 anos, ainda não se casou e os pais, italianos e alemães lá da roça esperavam levá-la ao altar um dia, daí ela se envolve com um cara separado. Desse preconceito eu saco bem.

Bom, daí se separaram por uns meses, período em que ele me conheceu. Só que ela ligou prá ele, querendo voltar, daí semana passada se reconcilliaram. Ele está até usando aliança de compromisso!!!

A moça chegou e ele fo lá recebê-la. Uma loirinha bonitinha. Até demais prá ele, baixinho, barrigudo e careca (rsrs).

E assim se encerrou o caso que não aconteceu!

E eu sigo solteira na Ilha…

Pois é…

Como eu havia comentado lá no Pérolas, o mundo dá é volta…
Certa vez eu falei lá de um casal de amigos que tinham ficado noivos. Pois é, e ele tinham ficado comigo uma vez, mas não rolou. Eu confesso que na época fiquei meio assim assim, porque até queria que tivesse rendido algo mais.
Deixei prá lá, como disse, até apoiei os dois, me ofereci prá bordar enxoval etc.
Pois não é que o noivado acabou? A Boterinha (a noiva) me contou dia desses na rua.
Ontem amiga foi lá em casa me contar que na verdade ela é que terminou tudo. E aí veio à tona um monte de coisas do tipo nada a ver, ela não estava exercendo de fato o papel de uma noiva. Tava louca, bebendo prá caramba, sem trabalhar ou estudar, arrancando dinheiro do cara a torto e a direito. Daí se emputeceu com ele porque ele cobrou um comportamento mais maduro e saiu fora.
Tá, eu confesso: que vontade de dar um colo pro moço. Mas fico na minha, até porque soube que foi tudo desgastante demais. Não é o momento de chegar chegando em ninguém. Mas eu tô observando… Aquilo tudo que tinha ficado muito mal resolvido pode tomar novo rumo agora. E eu tô super afim de que isso aconteça.

Desejos

Hoje entrei aqui e vi que uma leitora liiinda, a Érika, me escreveu um coment superfofo. Curiosamente ontem uma amiga, a Loira, teclando comigo, me falou a mesma coisa.

Elas falam sobre eu nunca estar de fato só, pois tenho família e tenho um amor incondicional, o Filhote. Tá, verdade verdadeira. Mas, gente, eu tenho meus desejos.

Eu tenho 33 (quase 34) anos. Estou, como diriam os antigos, tinindo. Estou no máximo, estou com a cabeça boa, com o corpo bom (mesmo em tamanho plus, hihihi), saúde em dia, enfim, no ponto. Daí eu vejo essa energia toda se perdendo numa solidão sem fim, que meu filhinho, por mais amoroso que seja, não supre. É diferente, gente!

Tenho meus anseios, mnhas necessecidades naturais a uma mulher da minha idade. Aí o bicho pega (ou não pega) porque eu não tenho por onde dar vazão a isso.

Não mereço!

Mas tem nada não, que o mundo dá quinhentas voltas e eu já aprendi a lidar com a tontura então, vamos que vamos!

Dia de Quem??

Diz que hoje é o dia do solteiro. Ai-ai…
Cá estou eu , nodia do solteiro, solteira, e eu não tô nem um pouco com cara de comemoração. Vou lá comemorar estar encalhada? Fala muito sério!
Outra coisa que eu não entendo é o povo que coloca a cara no jornal prá falar que tá solteiro por opção. Porra nenhuma, duvido que a pessoa simplesmente não queia ter companhia. Não creio mesmo nisso.

Uruca

Cara, ontem foi sexta-feira treze de agosto. Falando muito sério, prá mim não fez a menor diferença, mas honestamente, estou inclinadíssima a crer que eu devo ter uma cabeça de burro enterrada na direção do meu quarto aqui no prédio, ou tinha uma enterrada sob o prédio da maternidade onde nasci.

Eis que ontem, mesmo sem um puto no bolso, saí com meu irmão. Só que lá pelas tantas o bonito saiu prá uma boate com um amigo e me largou sozinha no bar. Ok, ia terminar minha cervejinha e ir prá casa quando um carinha me parou e puxou assunto. Era o Rato, dono dos olhos azuis mais bonitos do bairro e também da maior antipatia que tenho noitícia. Veio cheio de sorrisos, não lembrava meu nome (tá, nem me estresso muito, meu nome é difícil mesmo), mas lembrava de mim por causa da minha irmã (que é a minha cara e é mais conhecida que nota de dois reais nessa cidade).

Só que em cinco minutos de conversa o entojo da criatura se manifestou. Eu, que já tionha tomados as minhas cachaças todas, mandei ver no mancebo: “cara, você é muito antipático, por isso, por isso e por isso…”. Gente, sem mentira, o rapaz ficou quadradinho da silva. Sorriu, disse que era uma má impressão minha, só que quanto mais ele falava, mas me irritava. Ainda assim, acabei batendo um papo nada cabeça, já que o copo não parava vazio e pedi licença prá ir embora.

Tô cagada de urubu, só pode! Quando me aparece alguém, me vem uma peça de quem absolutamente ninguém gosta nesse mundo.

Então…

Cá estou eu, teclando com um moreno lindo maravilhoso há uns 1000km de distância lá em Sampa que adora me provocar, esperando meu irmão me confirmar que vai me fazer companhia prá sair. Justo no mês em que não dou plantão no sábado não consigo sair numa sexta! Mereço!

Sexta

Hoje é sexta-feira. Não bastasse, dia 13 de agosto. Então eu tô muito afim de soltar minhas bruxas todas na night capixaba, mesmo sem um puto no bolso.

Alguém me acompanha??

Entradas Mais Antigas Anteriores