E aí…

Prá me completar, conheci um corretor de seguros charmosão, 1,91m, todo todo. Passou o findi me azucrinando que queria sair. Pois não é que hoje o malvado ficou de me ligar pro jantar (que ele insistiu que fosse almoço, mas eu não podia) e me deu um cano?

Pombas, tenho cara de encanadora??

Eu queria saber quantos cuzões vão cruzar o meu caminho… Essa gente deve achar que eu tô de brincadeira, de passagem pela vida.

Prá casa do cacete todo mundo, que eu não sou nenhuma desesperada, mas porra, eu quero ter uma companhia agradável prá passar umas horas de relax. Então, meu caro, se não vai me proporcionar um momentinho feliz, faça o favor de continuar andando, que a fila não pára e a catraca anda seletiva.

Keep Walking….

E falando nisso…

Já que eu vou falar sobre homens, confesso: queria ser uma cientista com o poder de jogar a homarada toda dentro de um laboratório prá estudar anos a fio o comportamento cérebro dos caras.

Porra, eu entendo que, se o cara nao te ligou, não te procurou, não mandou sms, msn, sinal de fumaça, é porque ele não quer te ver. Mas eu não entendo porque um zémané se dá o trabalho de te procurar, marcar com você e te dar um cano!

Lá no Pérolas eu comentei que o Mexicano tinha marcado um encontro comigo. Pois na data marcda o bonito não ligou, claro que não apareceu e também não se deu o trabalho de me procurar depois prá me dar uma desculpa esfarrapada – o que muito me emputeceria, mas pelo menos eu teria uma satisfação.

Depois dizem que mulher é bicho complicado… Aiai!!

Começando devagar

Deixei o Pérolas prá assuntos cotidianos. Aqui descreverei, como disse, as venturas e desventuras de uma solteira na Ilha de Vitória. O vai-e-vem (sem trocadilhos, por favor!) nessa vida louca enquanto me lanço na loucura de me submeter a companhias masculinas em busca de um parceiro bacana, e a participação das pessoas especiais da minha vida nessa odisséia.

Bem-vindos!